Uma estrangeira no mundo

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

Prêmio gospel: glória aos homens de bom talento


“E disse Davi aos chefes dos levitas que constituíssem, de seus irmãos, cantores, para que com instrumentos musicais, com alaúdes, harpas e címbalos, se fizessem ouvir, levantando a voz com alegria.” – 1 Cr 15.16

“E aconselhou-se com o povo, e ordenou cantores para o SENHOR, que louvassem à Majestade santa, saindo diante dos armados, e dizendo: Louvai ao SENHOR porque a sua benignidade dura para sempre.” – 2 Cr 20.21

“Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de Deus?” – Jo 5.44

No último dia 27/06 houve o 3o. Dia do Louvor no Playcenter. A novidade deste ano foi a entrega do 1o. Prêmio Gospel Brasileiro, promovido pela Rádio Vida. Em entrevista ao site Guia-me, alguns premiados deram seus depoimentos:

“Foi uma surpresa. Creio que as mãos de Deus abençoam o trabalho, o ministério que temos dedicado ao Senhor e usam pessoas para nos premiarem”, afirmou o Cantor Tom Carfi.

“Acredito que a gente trabalha, faz o melhor para o Senhor e busca sempre trazer algo de Deus para a vida das pessoas, uma restauração, renovo. Esse prêmio é como um reconhecimento da obra que o Espírito Santo está fazendo em nossas vidas. Estamos felizes e agradecemos a Deus, a todas as pessoas que tem acompanhado nosso ministério, a nossa família, tão importante para nós, ao assessor Adilson que está sempre nos acompanhando. O que temos a dizer é que para nós é gratificante, é uma alegria e só ajuda para que possamos continuar realizando essa obra com mais afinco”, expressou Cristiane, da dupla Cristiane e Daniel.

“Uma honra, um prazer, uma alegria poder receber através do voto da galera. A gente fica feliz pelo carinho da galera representado pelo prêmio”, disse Juninho Afram.

Além da premiação aos adoradores gospel famosos, houve no evento a oportunidade de cantores “desconhecidos” mostrarem o seu trabalho.

“A cantora Lívia Matias ainda não possui um trabalho em CD, porém acredita que essa oportunidade dará um impulso em sua carreira. ‘Foi muito bom, uma experiência ótima para a minha vida. Pensei que ía (sic) ficar mais nervosa'”.

Mas o mercado gospel, assim como o secular, é bastante dividido e concorrido, e por isso não há apenas um prêmio gospel, mas vários. Abaixo alguns:

Troféu Talento (o “principal”);

Som Gospel (que dá carro zero ao vencedor);

Programa Levitas (uma espécie de “Ídolos” gospel, na TV CNT aos sábados à noite);

Vozes Gospel (outro “Ídolos” gospel – se o candidato for desclassificado em um, pode tentar no outro, quem sabe?).

Como se vê, há no mercado musical evangélico brasileiro pelo menos dois tipos de premiação: para os que já são consagrados pela alta vendagem de CD’s, e os que prometem aos desconhecidos fama, sucesso e dinheiro “gospel”, através do contrato com alguma gravadora cristã, caso cheguem à final do concurso. A semelhança entre os dois tipos é: sempre haverá pelo menos um vencedor, o considerado melhor, mais talentoso, mais bonito, mais-mais que os demais.

Porém, é possível aos homens julgar verdadeiramente a qualidade de um adorador? Quais os critérios que devem ser levados em conta (tempo que gasta em vigília e em jejum, número de resgatados para Cristo, semelhança da voz do cantor com a dos anjos)? O homem pode julgar o coração?

Pergunto isso porque, EM TESE, quando alguém se entrega a Cristo e resolve assumir o ministério de louvor em sua igreja, o faz para a glória de Cristo, para levar as demais pessoas a juntas adorarem a Deus. EM TESE, um cantor ou banda gospel lá estão não para demonstrar seus talentos musicais, ou para aparecem mais do que os outros (já que estão no púlpito), mas para servir a Deus e aos irmãos, assim como há o ministério de pregação e até o ministério de ficar na entrada da igreja cumprimentando e orientando quem chega pela primeira vez. EM TESE, ministrar o louvor não traz fama, sucesso, dinheiro com vendagem da música, mas traz uma aproximação do ministrador com Deus. Infelizmente na igreja brasileira, é só TESE.

A realidade: não consegue mais vender sua música secular? Torne-se evangélico e passe a ganhar milhões vendendo sua música “do Senhor” aos irmãos! Começou a cantar na igreja? Ora, sua música é tão boa, leva tantas pessoas à presença de Deus, que não merece ficar restrita à sua denominação: grave um CD com uma grande gravadora e sua música abençoará a muitos, e como Deus é meio barganhador, em troca você receberá fama e dinheiro, pois plantou uma musiquinha e ganhará em troca 10, 100, 1.000 vezes mais (mais shows, mais eventos, mais entrevistas, mais sucesso, mais orgulho e vaidade).

Orgulho e vaidade, sentimentos que Deus abomina, mas que estamos alimentando em nossos ministérios de louvor (em outros também, mas não são assunto deste artigo). Ao invés de glorificarmos a Deus, estamos glorificando a homens. Quem já foi a shows gospel sabe do que estou falando: entra a banda X, o cantor é bonito, as irmãzinhas abençoadas começam a gritar como fãs histéricas dos Beatles. O cantor, por sua vez, está ali para adorar ao Senhor, mas como fugir da armadilha demoníaca que lhe armam (o assédio das fãs, a possibilidade de sucesso financeiro, o reconhecimento como grande servo do Senhor)? Eu creio que muitos começam a cantar na igreja querendo servir apenas a Deus, mas o demoníaco mercado evangélico corrompe os corações, numa falsa mas aparente aura de santidade (você vai cantar para multidões, levar multidões a Cristo se assinar tal contrato). O aceitar receber um “prêmio gospel” é só o ápice da degeneração. Nessa fase, já se assume o receber as honras e glórias no lugar de Deus, e ainda achando que o prêmio vem por obra do Senhor, assumindo a mentira de que é melhor adorador do que os demais concorrentes, como se estivesse em jogo o grau de santidade, facilmente medido por olhos humanos.

É interessante observar que os premiados sempre são os cantores ou bandas que mais venderam, ou que pertencem à gravadora ou igreja que patrocina o evento. Ou seja: premia-se o lucro obtido, não a unção da pessoa. E por falar em unção, hoje ela é medida pela quantidade de pessoas que um cantor ou banda consegue levar às lágrimas após entoar uma canção. Porém, quando ouço White Horses ou Angie dos Rolling Stones, tenho vontade de chorar. Quer me comover? Coloque aquela música do Maná (o refrão: como quisera poder vivir sin nadie), ou Paciência, do Lenine, ou Sinônimos, do Chitãozinho e Xororó e Zé Ramalho. Pergunto: por acaso esses cantores também têm “unção”, ou o que vemos nas igrejas é mais emocionalismo por uma canção bonita do que o verdadeiro toque do Espírito Santo? E é possível o Espírito Santo agir livremente num ambiente que prioriza honrar os homens, como numa premiação gospel?

O diabo realmente adentrou nas igrejas, e plantou suas sementes de joio em meio ao trigo. O joio e o trigo cresceram, e estão tão unidos que não é possível separá-los sem danificar o trigo. O mercado musical evangélico está tão arraigado que não adianta falar contra essa indústria demoníaca, pois só queremos ouvir o que nos agrada, deixando de lado a sã doutrina. Mas os profetas do Antigo Testamento falavam, falavam, falavam, Deus intervinha e um dia os olhos do povo se abriam e, arrependidos, voltavam a buscar verdadeiramente ao Senhor.

Que Deus possa abrir nossos olhos espirituais, para que tomemos consciência do grande mal no qual estamos envolvendo o ministério de louvor e adoração. O verdadeiro louvor nos leva ao Pai, mas o louvor a nós mesmos não nos leva a nada, ficando para sempre um vazio que precisa ser sempre satisfeito com mais engano e degeneração. Um abismo chama outro abismo ainda maior.

3 comentários em “Prêmio gospel: glória aos homens de bom talento

  1. Nadia Zeuli
    30/03/2010

    Estou muito feliz pela dupla Cristiane e Daniel, tenho acompanhado o ministério deles desde que começaram em 1999 com o primeiro CD – Vou Louvar. Parabéns pela conquista e que Deus possa levá-los aos quatro cantos da terra para Adorarem ao nome Dele. Eu também quero parabenizar a iniciativa dos organizadores do Dia do Louvor no Playcenter, pois precisamos mesmo de dias alegres, de diversão e adoração a Deus… E a idéia de enmtregar um prêmio como reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos Levitas do Senhor foi 10. Deus abençoe vocês e que continuem a realizar este belíssimo trabalho. Na Paz de Cristo, Missionária Nádia

    Curtir

  2. francisco martins
    29/07/2010

    DEUS seja louvado.Missionaria Nadia,como pode vc estar em frente a um povo pra ensinar-lhes as coisas de DEUS sendo que vc nem conhece as coisas terrenas.Antes de andar temos que antes ficar de pe,entao querida irma peco-te em nome de Cristo Jesus examine as escrituras antes de colocar suas ideias em um site ou blog que o mundo vais ter ascesso.KIKOSMARTINS@HOTMAIL.COM

    Curtir

  3. Edimar
    25/10/2010

    A pouco tempo, as Igrejas Católicas e Evangélicas permetiam coral, com alguns instrumentos musicais. Quando a Igreja Católica permitiu o uso da Guitarra e Bateria, dentro das Igrejas, os Evangélicos classificaram os instrumentos como diabólico (por causa dos Conjuntos de Rock e a dança) e também criticava as canções (cantigas), pricipalmente cantadas por Padres como mundano. “NADA SE CRIA, TUDO SE COPIA”. Hoje tanto Pastores, Padres e Membros se tornaram ídolos, que cobram para cartar não só nas Igrejas como também em programa de Auditório.

    “PARA DEUS, TODA A HONRA E TODA A GLÓRIA, AGORA PARA SEMPRE”

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: