Uma estrangeira no mundo

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

Reformas não são para sempre


Hoje, dia 31 de outubro, comemoramos a Reforma Protestante, pois nesta data, em 1517, Martinho Lutero afixou as famosas 95 teses contra as heresias pregadas na época pela Igreja oficial.

Porém, o que temos hoje para comemorar?

  • Como nos tempos de Lutero, vemos igrejas vendendo seus rebanhos a políticos em troca de benesses pessoais;
  • Como nos tempos de Lutero, vemos igrejas comercializando o Sagrado em troca de promessas de vitórias nesta vida terrena;
  • Como nos tempos de Lutero, vemos igrejas ensinando o povo que o poder não provém de Deus, mas de seus líderes, dos rituais complexos e dos amuletos gospel que entregam a quem dá as ofertas com os valores exigidos;
  • Como nos tempos de Lutero, vemos igrejas preocupadas com a aparência de poder, sob a forma de templos suntuosos e vida de luxo a seus ministros, enquanto o rebanho passa fome, sede e frio;
  • Como nos tempos de Lutero, vemos igrejas onde se disputa quem é o maior, quando Jesus nos ensinou que deveríamos disputar o lugar de menor e de servo dos demais.

Uma casa, quando passa por uma reforma, fica linda por um tempo. Porém o tempo e a erosão depreciam o bem, causam desgaste nas estruturas, e caso nova reforma não ocorra, corre-se o risco da casa literalmente cair. Assim é com a Igreja, que atualmente apresenta grandes infiltrações de teologias heréticas que têm causado grande estrago. Faltam telhas, em muitas partes o reboco está aparente, há janelas sem vidros (por tantas pedras que foram lançadas) e portas que estão com as dobradiças tão enferrujadas que já não abrem mais, nem quando é o próprio Cristo que está a bater.

É hora de uma nova reforma. É hora de limparmos o terreno e trazer de novo os materiais que estão desgastados. É hora de voltarmos às essências bíblicas, ao estudo da Palavra, à oração, à consagração, à busca de santidade, ao amor incondicional. É hora.

Que a reforma que a Igreja precisa comece em cada tijolinho, agora. No tijolinho eu e no tijolinho você. E que, com a casa arrumada, Jesus possa novamente entrar e cear conosco.

Um comentário em “Reformas não são para sempre

  1. Antonio
    31/10/2012

    Muito Bommmm!

    Estou pensando inclusive, reproduzir e distribuir aqui onde moro.

    Deus abençõe vocês do EPS e suas famílias.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: