Uma estrangeira no mundo

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

É Natal!!! Mas Jesus não está sendo pregado na Globo


É época de Natal. Os shoppings estão abarrotados, as casas enfeitadas e cheias de luzes piscantes, compramos panetones e champanhes de terceira para dar de brinde para os nossos funcionários, corais de crianças se apresentam nas cidades, o Papai Noel está onipresente, com sua expressão de bom velhinho, o mundo está cercado por uma aura de amor e paz.

Mas e Jesus, cadê?

Não sei. Embora tenha visto até o Festival Promessas, o tal $how gospel da Globo, ainda não vi falar em Jesus. Só vejo falar, nessa e noutras emissoras, de compras, Papai Noel, enfeites, corais, festa, amor e paz.

Sabe o que isso significa? Que amor e paz independem de Jesus. É possível ter amor e paz (aparentes) sem que se tenha que apelar para o Deus Cristão.

Mas espera aí: o Natal não é justamente a comemoração do nascimento do Filho de Deus, que veio à terra trazer a salvação para nós, os perdidos?

Essa foi a justificativa inicial. Absorvida a ideia, Jesus deixou de ser necessário, afinal já existem tantos outros deuses que dar preferência a Ele seria desagradar a todo o resto. Fora que, entre Jesus e Mamom, o segundo é mais popular, buscado até entre aqueles que dizem seguir o Mestre.

Então Jesus fique de escanteio, pois Mamom precisa prevalecer, mostrando a “prosperidade” dos gospel e dos não gospel, alimentando o sistema capetalista em que vivemos, pois se as vendas caírem e os lucros não aumentarem teremos desemprego e recessão.

Assim, para que haja amor e paz aparentes neste mundo, é preciso que haja ricos mais ricos e pobres mais pobres, comprando o que não podem para obedecer à manipulação midiática. Para que o amor e a paz sejam aparentes, é preciso que as injustiças prevaleçam, e que possamos, cada vez mais, olhar para dentro de nós mesmos e enxergar apenas nós e nossos umbigos. Para que haja o amor e a paz deste mundo, é preciso que o mundo gire em torno de nós somente, pois se somos gospel somos cabeça e não cauda, filhos do rei, herdeiros da promessa etc. E se não somos gospel somos tudo isso também, afinal pulamos ondinha, comemos sementes de romã, fazemos promessas mil buscando ser cabeça e não cauda, ser tratados como filhos de reis, como herdeiros da promessa.

Algo está muito errado quando os objetivos dos que se dizem cristãos e dos que não o são apontam para o mesmo alvo: ser mais privilegiado que os demais, ser o maior, ser o melhor.

“Mas Jesus, chamando-os a si, disse-lhes: Sabeis que os que julgam ser príncipes dos gentios, deles se assenhoreiam, e os seus grandes usam de autoridade sobre elas; Mas entre vós não será assim; antes, qualquer que entre vós quiser ser grande, será vosso serviçal; E qualquer que dentre vós quiser ser o primeiro, será servo de todos. Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos.”  – Marcos 10:42-45

Não há espaço para Jesus se Seus ensinamentos não são pregados. Não havendo pregação da Palavra não adianta músicas bonitas, choros de emoção, cartões com lindas mensagens, presentes caros. Sem Jesus, tudo isso fica sem sentido, mesmo e principalmente no Natal.

A Globo e as demais emissoras que “fazem a nossa cabeça” não se lembram de Jesus, pois lhes importa juntar todos os deuses como se fosse uma coisa só. Mas podemos pensar por conta própria e buscar a Ele na Palavra, e descobrir o quão maravilhoso é. E passar adiante que tudo isso que vivemos, no Natal e fora dele, só tem sentido com Jesus, pois:

“Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.” – Romanos 11:36

Agora e sempre, que possamos mostrar ao mundo que o amor e a paz aparentes não valem de nada, pois são apenas aparência, ilusão. Essa ilusão será mais um dos enganos que trará a vinda do anticristo, do abominável que governará este mundo por um tempo, trazendo a união e a paz fictícias aos povos. Que possamos levar ao mundo que há Um que pode dar o verdadeiro amor e a verdadeira paz, a paz que excede todo o entendimento humano, a paz que existe não por ausência de dificuldades, mas dentro das dificuldades. A paz que conforta os corações dos mártires do Evangelho. A paz que Estevão e outros sentiram mesmo diante de mortes terríveis. A paz que sentimos toda a vez que clamamos por Deus. A paz que o mundo não pode dar, pois não a tem.

Feliz Natal, na Paz e no Amor de Cristo Jesus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 23/12/2012 por em Ser estrangeira e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: