Uma estrangeira no mundo

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

Carta aberta aos organizadores do evento Herdeira, no Maracanazinho, RJ


blog16Caros organizadores,

Nós, do Movimento pela Ética Evangélica Brasileira, viemos por meio deste instrumento esclarecer quem somos, nosso objetivo e o porque nos faremos presentes no “Herdeira”. Entendemos que este esclarecimento se faz necessário para evitar conflitos desnecessários, decorrentes da incompreensão de nossos motivos e anseios.

O Movimento pela Ética Evangélica Brasileira é um movimento de expressão nacional, que surgiu como a manifestação de uns poucos em resposta a escândalos protagonizados por lideranças evangélicas. Este pequeno grupo não tinha a intenção de iniciar um movimento, nem a expectativa de que tantos, em diversos Estados, viessem a aderir à nossa causa e promover manifestações em outras localidades.

O objetivo deste movimento é ser uma voz da Igreja, pela Igreja e para a Igreja, denunciando a corrupção ética, a incoerência entre discurso e prática, assim como destacando a beleza da Igreja que tem agido mesmo não recebendo o devido destaque, destaque este que, infelizmente, tem sido dado somente aos escândalos que nos dividem e nos alienam.

Somos um grupo interdenominacional e, por assim ser, não defendemos uma linha doutrinária específica. Mesmo assim, reconhecemos que a doutrina que nos é comum transcende nossas diferenças e encontramos nela o parâmetro para avaliar o discurso e a ação da Igreja no Brasil. Concordamos com os credos antigos, temos a Bíblia como nossa regra de fé e prática e buscamos depender da orientação e da proteção do Espirito Santo de Deus para que a Verdade nos seja cada vez mais clara e para que nossas mentes não deturpem a Verdade conformando-a aos nossos desejos, anseios e percepções pessoais.

Não concordamos com algumas doutrinas onde o ensino se centraliza na satisfação dos desejos e vontades dos fiéis, ao invés da vontade de Deus; onde nosso Deus é trasvestido como sendo um deus mesquinho que negocia curas, milagres e prosperidade em troca da devoção e sacrifícios dos fiéis, sacrifícios estes que muitas vezes se caracterizam pela exploração financeira dos fiéis; que possibilitam que líderes eclesiásticos se utilizam de sua influência para manipular politicamente os fiéis em favor de interesses particulares; onde se descontextualizam passagens e versículos bíblicos, de modo que justifiquem qualquer doutrina de interesse privado; que favorecem a construção de grandes templos, catedrais, estratégias imperialistas e manutenção da maquina eclesiástica mas que muito pouco fazem por aqueles que precisam, esquecendo-se daqueles que a Bíblia chama de “órfãos, viúvas e estrangeiros. Por isso defendemos por meio de nosso protesto que os fiéis busquem aprender a ler a Palavra de Deus destituídos de lentes doutrinárias, que estes busquem ferramentas que os possibilitem avaliar o ensino que tem recebido e que, uma vez que encontrem desvios entre a Palavra de Deus e o ensino que tem recebido, procurem seus mestres/pastores e os exortem em amor a um caminho mais excelente. Cremos que uma Igreja que saiba manejar bem as Escrituras e que nelas busca direção dificilmente se dobrará a qualquer vento de doutrina que contrarie a Verdade Bíblica. Cremos que o conhecimento verdadeiro do Evangelho é essencial para o amadurecimento da Igreja.

Reconhecemos que a Igreja é a noiva de Cristo apesar de, no momento, estar dividida e contaminada pelo pecado. Não temos expectativas de que nossas ações venham a ser a solução para essa divisão e para essa contaminação – cremos que a ação redentiva para a Igreja se encontra em Jesus, e somente em seu Governo esta será totalmente purificada e restaurada. Dessa forma, nossa voz tem como propósito:

1) destacar para a sociedade que existem aqueles que não concordam com a corrupção ética evidente em muitas de nossas lideranças e em muitos cristãos de forma geral;
2) animar e fortalecer a Igreja de Jesus, que se sente acuada, constrangida e sozinha, lembrando-a que Jesus já havia dito que dias como os nossos chegariam e que nosso chamado a sermos luz se faz ainda mais necessário em nossos dias;
3)denunciar o pecado em nosso meio, não como forma de atacar lideres e Ministérios específicos, mas desvinculado a denúncia, tornando-a uma declaração universal não dirigida – reconhecemos que essa tarefa é particularmente difícil, porém temos pedido orientação e discernimento para que possamos fazê-la;
4)persuadir lideranças e cristãos de forma geral a refletirem sobre suas ações, suas intenções, sua doutrina, suas posturas e comportamento;
5)incentivar, acolher e apoiar lideranças que, reconhecendo o seu pecado e o impacto desse sobre a Igreja, queiram mudar;
6)incentivar ações que entendemos como próprias aos filhos de Deus;
7)promover a unidade na Igreja.

No dia 4 de maio nós, do Movimento pela Ética Evangélica Brasileira, pretendemos estar no “Herdeira”. Entendemos que esse espaço de foro público nos pertence também, afinal, como evangélicos, também temos o direito de nos fazer presentes em um evento público que tem como finalidade dar voz e expressão aos evangélicos. Estaremos nos manifestando por meio de camisetas com frases bíblicas e faixas com dizeres bíblicos que visam a despertar a Igreja brasileira para a Verdade bíblica e o impacto que esta deve ter em nossa sociedade.

Pretendemos estar no “Herdeira” com nossas faixas e camisetas, de forma totalmente pacífica, expressando, neste espaço público que nos fora reservado, aquilo que acreditamos ser um chamado à santidade e à unidade: uma palavra de Deus para a Igreja através da Igreja, convidando todos a um novo compromisso para com Deus, para uns com os outros e para com a sociedade.

Gostaríamos de solicitar que os Organizadores do “Herdeira” alertem sua equipe e, se possível, os participantes quanto a nossas intenções pacíficas, evitando assim conflitos desnecessários. Sabemos que não precisamos lembrá-los disso, mas gostaríamos de solicitar que que busquem alertar seus integrantes – em especial à equipe de segurança – que não é lícito o roubo de nossas faixas, afinal o roubo de qualquer bem é crime, e é pecado – não convém que o povo de Deus seja associado a tais práticas.

Reafirmamos que nosso movimento é totalmente pacífico, condizente com o que é esperado de cristãos. Reconhecemos que temos total direito de nos manifestar através de faixas e camisetas, pois no atual Estado de direito é garantida a livre expressão. Nossas faixas e camisetas não se referem a nenhum líder ou denominação em especial, pois buscamos apontar os ensinos enganosos atribuídos ao nome de Jesus Cristo. Reafirmamos nosso amor e compromisso para com a Igreja de Cristo, e nossa manifestação não passa de uma das formas que encontramos de exercer nosso amor e compromisso para com Cristo e para com a Igreja.

Nossa oração é que tudo ocorrerá na mais perfeita ordem, conforme o que se espera de verdadeiros cristãos.

Estamos à disposição para quaisquer esclarecimentos,

MOVIMENTO PELA ÉTICA EVANGÉLICA BRASILEIRA
VOLTEMOS AO EVANGELHO PURO E SIMPLES,
O $HOW TEM QUE PARAR!

A DEUS, TODA A HONRA E TODA A GLÓRIA PARA SEMPRE.

4 comentários em “Carta aberta aos organizadores do evento Herdeira, no Maracanazinho, RJ

  1. welandro
    04/05/2013

    A Comunidade Evangélica Internacional Zona Sul precisa lembrar que a rua é publica! Manifestações na rua é a coisa mais comum que pode haver numa democracia. Os versículos citados em camisetas e faixas são os mesmos que tal Comunidade alega seguir e o movimento atua de forma pacífica, ao contrário dos opositores, que até agridem fisicamente!!!!
    A CIZS vem com carta dos “advogados” endereçada ao Movimento. Com qual propósito? Exaltar o nome de Deus ou enaltecer propósitos particulares de líderes locais? Isso ocorre em boa hora! A Bíblia fala que seremos julgados pelas obras! ÓTIMO! Por causa disso digo: VOLTEMOS AO EVANGELHO PURO E SIMPLES, O $HOW TEM QUE PARAR.

    Curtir

  2. Misael Reis
    04/05/2013

    Muito bom saber que tudo que A Palavra de DEUS diz, está sempre se cumprindo… Como isso que vejo aqui…Um grupo querendo parar o ‘Ide”…Ao invés de aplicá-lo também…Como JESUS disse: “Quem não é contra nós é por nós” e logo sabe-se que o inverso é verdadeiro. Se Jesus estivesse aqui hoje, com certeza esses seriam os que levantariam faixas com o “Crucifíca-o”… Falam dos Judeus que O repudaram, que não o aceitaram, mas fazem o mesmo. Não me espanto. Por isso muitos ouvirão de sua boca: “Apartai-vos de mim que não vos conheço” Acordem. Quem luta contra a Igreja, o corpo de Cristo, se não o próprio Anticristo ? Vão pregar, ao invés de fazer papel de acusador. Acham que estão fazendo algum bem ao evangelho ? Ouvirão: ‘Apartai-vos de mim que não vos conheço!” e com certeza dirão: “Mas senhor, fomos contra aquela igreja que agia mal com tua palavra”
    Pensem, meus irmãos, e reflitam.
    Misael Reis

    Curtir

    • Estrangeira
      04/05/2013

      Não, Misael, não queremos parar o Ide, inclusive promovemos cultos ao ar livre em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, e em algumas ocasiões distribuição gratuita de bíblias e novos testamentos. Queremos, sim, que a Igreja (a verdadeira) possa parar por um minuto e refletir sobre o que estão fazendo em nome de Jesus e do Seu Evangelho. Os verdadeiros cristãos não se espantam ao ler frases com versículos bíblicos, não se incomodam com isso. Quem se incomoda é quem prega e vive um outro evangelho, diferente do que nos ensinou Jesus.

      Ao longo da história, vemos muitas vezes Deus enviando profetas para tentar levar o povo judeu à reflexão sobre o que estavam fazendo, com o objetivo de que voltassem para o caminho do Senhor. Eram os profetas contra o povo de Deus?

      Jesus, “absurdamente”, criticava os sacerdotes de sua época e se voltava aos marginalizados. E aí? Será que, se Jesus estivesse aqui hoje, Ele estaria no palco dos $hows gospel, aprovando os negócios que são propostos em nome de Deus? Ele acharia lindo oferecerem, por exemplo, bênçãos em troca de gordas ofertas para enriquecimento de ministérios e seus líderes?

      Ou será que Jesus estaria do lado de fora dessas “igrejas”, junto aos marginalizados que não têm mil reais para dar a oferta que, segundo certos líderes, faz Deus nos dar a unção financeira dos últimos dias?

      Peço que reflita sobre isso tb. Reflitamos todos. Fique na Paz.

      Curtir

  3. Misael Reis
    06/05/2013

    Pois é minha irmã, canalize sua energia, foque seu chamado e vá em frente. Não fira a igreja do SENHOR, pois Ela é sua noiva. Cuide para não perder sua coroa. Porque você acha que naquele dia muitos dirão: – SENHOR, em teu nome eu curei, SENHOR, em teu nome expulsei demônios ! eu ´cuidei da tua igreja protegendo-a´ e o SENHOR lhes dirá: – Apartai-vos de MIM, malditos que não vos conheço !
    Então, minha irmã, faça render o teu talento, o dom que DEUS te deu…aponte sua arma para o inimigo…e não para a igreja do SENHOR ! Pois assim vc não estará tentando dividir o Reino.
    DEUS abençõe o teu trabalho. Fique na Paz;

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 01/05/2013 por em Ser estrangeira e marcado , , , , .
%d blogueiros gostam disto: