Uma estrangeira no mundo

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

O cristão e os bandidos e terroristas


11Nos últimos dias temos visto uma avalanche de opiniões a cerca da “invasão” de refugiados à Europa, após o episódio da fotografia do menino sírio morto quando sua família tentava fugir da guerra. Por conta da repercussão e comoção do episódio, vários países europeus e até americanos aceitaram abrir suas fronteiras para os refugiados. Porém, não há dúvidas de que terroristas se aproveitaram da situação e hoje estão possivelmente maquinando seus ataques nos países em que conseguiram se infiltrar.

Paralelo a isso, todos os dias vemos cristãos postando nas redes sociais suas opiniões sobre a violência no Brasil. Mas o que incomoda é que muitas dessas opiniões partem do princípio do “olho por olho, dente por dente”, onde se justifica que “bandido bom é bandido morto” e que, por suas ações, merecem toda a espécie de tortura e mal. Porém, o que a Bíblia diz sobre isso?

 

Fonte: Extra

Fonte: Extra

“Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente.
Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra;
E, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa;
E, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas.
Dá a quem te pedir, e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes.
Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo.
Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;
Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.
Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo?
E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim?
Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus.” – Mateus 5:38-48

Até no Antigo Testamento havia leis que prenunciavam o “olho por olho, dente por dente”. Em Deuteronômio temos, por exemplo:

“O teu olho não perdoará; vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé.” – Deuteronômio 19:21

Porém, Jesus veio trazer um novo mandamento, o de amar aos inimigos. Isso até então era inimaginável. No livro de Salmos isso fica bastante claro.

E por falar em inimigos, o que dizer de Saulo de Tarso?

“E também Saulo consentiu na morte dele. E fez-se naquele dia uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judéia e de Samaria, exceto os apóstolos.
E uns homens piedosos foram enterrar Estêvão, e fizeram sobre ele grande pranto.
E Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão.
Mas os que andavam dispersos iam por toda a parte, anunciando a palavra.” – Atos 8:1-4

Saulo era alguém que cria firmemente em sua religião. Tanto que um dos mandamentos era o de matar os hereges, e ele o praticou ao pé da letra com Estêvão:

“Quando te incitar teu irmão, filho da tua mãe, ou teu filho, ou tua filha, ou a mulher do teu seio, ou teu amigo, que te é como a tua alma, dizendo-te em segredo: Vamos, e sirvamos a outros deuses que não conheceste, nem tu nem teus pais;
Dentre os deuses dos povos que estão em redor de vós, perto ou longe de ti, desde uma extremidade da terra até à outra extremidade;
Não consentirás com ele, nem o ouvirás; nem o teu olho o poupará, nem terás piedade dele, nem o esconderás;
Mas certamente o matarás; a tua mão será a primeira contra ele, para o matar; e depois a mão de todo o povo.
E o apedrejarás, até que morra, pois te procurou apartar do Senhor teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão;
Para que todo o Israel o ouça e o tema, e não torne a fazer semelhante maldade no meio de ti.” – Deuteronômio 13:6-11

Atualmente, quem tem matado cristãos por uma crença fervorosa?

Porém, apesar do número de cristãos crescer grandemente, não vemos em Atos nenhuma tentativa de levante cristão. Não vemos os cristãos fabricando armas, fazendo barricadas, não vemos os homens armando emboscadas para pegar, um a um, os soldados romanos. E olha que entre eles havia homens impetuosos como Pedro, que com um golpe de espada conseguiu cortar a orelha de um soldado quando foram prender Jesus!

E por que isso?

Porque eles compreenderam a lição do Mestre. Eles compreenderam que estavam ali para entregar suas vidas, não para defendê-las mesmo que isso significasse a morte do outro, do pecador. Se algum cristão fizesse justiça com as próprias mãos e matasse a Saulo, hoje não teríamos os escritos de Paulo.

Se puder, leia: “Terrorista do Estado Islâmico se converte após ser socorrido por cristãos” (fonte: Púlpito Cristão)

Segundo o site Santo Vivo, “era a cruz o mais infame dos suplícios e o castigo ordinário de ladrões de estradas, assassinos, traidores e escravos. Cícero, escritor romano, chamava-lhe ‘a mais cruel e atroz das condenações à morte’. O próprio nome cruz era motivo de opróbrio, culpa e ignomínia.” Então imagine os companheiros de Cristo na crucificação. A Bíblia fala de dois ladrões. Podem ter roubado muitas pessoas, podem ter prejudicado muita gente. Talvez, até matado alguém durante um assalto. E lá estavam, sendo punidos e expostos publicamente tanto para saciar a sede de justiça das vítimas e parentes das vítimas, como também para servir de exemplo para a sociedade de que o crime não compensa. E, segundo um dos ladrões, estavam sendo punidos justamente.

“E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós.
Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação?
E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez.
E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.
E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” – Lucas 23:39-43

Muitos cristãos, se ouvissem tal diálogo, se irariam sobremaneira. Assim como Jonas, que não queria que Nínive fosse salva por conta de suas inúmeras iniquidades. Porém, Deus salva quem Ele quer, independente da revolta de Jonas ou dos parentes das vítimas do bandido ou terrorista. E independente da minha e da sua vontade também. E por isso, não nos compete desejar o mal a ninguém.

Mas como isso é difícil! Como não se comover com o sofrimento do outro? Como não desejar tortura e morte cruel para assassinos, pedófilos, estupradores, terroristas?

oracaoNão sou hipócrita. Quando vejo uma notícia dessas, meu primeiro pensamento é o desejo de ver o agressor sendo torturado. Mas é meu primeiro pensamento, o da alma, o da carne. Meu segundo pensamento é colocar o agressor nas mãos de Deus, que pode convertê-lo até no seu último momento de vida.

Mesmo que eu, no meu íntimo, não deseje que ele se converta por não achá-lo digno de ser salvo.

Mas…

Por que EU seria digna da salvação?

Ao me julgar melhor do que o outro, não estaria eu fazendo a oração do fariseu, ao invés da oração do publicano?

“E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros:
Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano.
O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.
Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.
O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!
Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.” – Lucas 18:9-14

Desde pequenos, o mundo nos ensina que devemos reagir, nos defender, matar se for preciso. Somos bombardeados com desenhos e filmes de super-herois, de combates alienígenas, de batalhas militares. O do bem com uma AR-15 consegue matar centenas de bandidos sem sofrer um arranhão. Desde pequenos aprendemos que a melhor defesa é o ataque, e crescemos com um desejo interior de ser o heroi que o sistema nos vendeu. Mas Jesus Cristo nos ensinou justamente o contrário.

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.
Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” – Mateus 11:28-30

Nunca vou ter uma arma. Eu me conheço e sei que, numa situação difícil, provavelmente meu primeiro pensamento me fizesse causar uma tragédia ainda maior. Minha proteção é Deus. Nele tenho meu conforto e segurança, Nele tenho a Paz nesse mundo em trevas.

Se for da vontade Dele, viverei cem anos. Ou viverei mais algumas horas. Não importa. O importante é que, a cada minuto que me resta, eu O invoque e O adore. Ele é Deus, não eu.

Quando achamos que podemos fazer justiça com nossas próprias mãos estamos roubando-Lhe, pois a justiça pertence a Ele. Se tivermos que morrer por causa da nossa fé, que grande glória, Senhor!!!

“E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem.
Comiam, bebiam, casavam, e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e os consumiu a todos.
Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam;
Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos.
Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar.
Naquele dia, quem estiver no telhado, tendo as suas alfaias em casa, não desça a tomá-las; e, da mesma sorte, o que estiver no campo não volte para trás.
Lembrai-vos da mulher de Ló.
Qualquer que procurar salvar a sua vida, perdê-la-á, e qualquer que a perder, salvá-la-á.” – Lucas 17:26-33

Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar!

Anúncios

4 comentários em “O cristão e os bandidos e terroristas

  1. telmo flores
    14/09/2015

    as vezes tu escreve coisas tão importantes e ás vezes, como nessa dá a impressão que tu não entendeu nada ou tem alguma dificuldade em certos temas

    de qualquer forma, uma abraço

    Date: Mon, 14 Sep 2015 14:02:56 +0000 To: tejoflo@hotmail.com

    Curtir

  2. marcos
    14/09/2015

    Precisamos rever o nosso cristianismo ocidental que alegoriza o que é literal na Bíblia ou relativiza os seus textos. Esta mãe “iletrada” e desfilhada fez uma leitura corretíssima dos ensinos de Cristo; que aprendamos com ela.

    Curtir

  3. Luís
    14/09/2015

    Uma declaração de fé e obediência ao evangelho, que infelizmente por falta de conhecimento tem faltado para algumas pessoas do meio gospel.

    Curtir

  4. elbert
    15/09/2015

    Parabéns pelo texto. Digno de um verdadeira cristã.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: