Uma estrangeira no mundo

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

O Governo do PT (e do PMDB e demais aliados) quer apagar a História – e apagar o Cristianismo, que permeia toda a história da humanidade


bnccVocê sabia que está em andamento uma consulta popular para a adoção de um novo currículo para as escolas do Brasil? E que a população brasileira tem até dia 15 de março de 2016 para opinar sobre o conteúdo da BNCC (Base Nacional Comum Curricular),  que é o nome pomposo da tal reforma curricular?

Eu também não sabia. Pelo menos até hoje de manhã, quando os irmãos Ideraldo e José Pedroza me compartilharam o vídeo a seguir (apenas 4 minutos, importantíssimo assistir):

Pois é, às ocultas, em meio ao noticiário sobre corrupção, e agora às voltas com os noticiários encobridores da corrupção (festividades de Ano Novo, depois Carnaval, depois Olimpíadas no Brasil) estamos próximos da maior reforma curricular no ensino brasileiro. Todas as disciplinas dos ensinos fundamental e médio serão alteradas. O documento que explicita todas as mudanças está em http://basenacionalcomum.mec.gov.br/documentos/BNCC-APRESENTACAO.pdf, mas é imenso (302 páginas), sendo praticamente impossível para a grande maioria dos cidadãos analisar todo o documento.

Porém, a consulta popular está aberta (embora nem um pouquinho divulgada), de forma que, se até dia 15 de março de 2016 a população (que nem sabe que tal consulta existe) não se manifestar, bem, o governo é democrático, dos trabalhadores, do povo e para o povo e deu todas as oportunidades para os insatisfeitos demonstrarem seu repúdio à proposta.

Obviamente, não consegui ler todo o conteúdo (ainda). Mas fui verificar o currículo de História (denunciado no vídeo acima) e o de Ensino Religioso (por razões óbvias). Infelizmente, o site não permite copiar e colar os textos, e como o conteúdo é bastante extenso, repasso o link: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/conhecaDisciplina?disciplina=AC_CIH&tipoEnsino=TE_EF.

cegueiraAlgumas observações:

Como denunciado pelo historiador e professor Marco Antônio Villa, realmente exclui-se o ensino dos fatos históricos da humanidade, desde a Idade Antiga até os dias atuais. Nossos filhos e filhas não mais conhecerão a história da Grécia e Roma Antiga, do Egito, das guerras, das revoluções. Não conhecerão, no que depender do Governo, da história do Cristianismo, que permeia praticamente toda a civilização ocidental. Não saberão que existiu a Inquisição, as Cruzadas, uma tal de Reforma Protestante e outra tal Contrarreforma. Mas saberão tudo sobre a história da África e dos povos indígenas brasileiros.

Note bem, concordo com a inclusão desses ensinos, pois nosso povo também é formado por indígenas e afrodescendentes. Porém, por que excluir toda o resto da história da humanidade?

Aí vamos para o currículo proposto para o Ensino Religioso. Desde o primeiro ano (confira no link indicado) nossos filhos e filhas serão doutrinados sobre a necessidade do ser humano de vincular os fenômenos da natureza à deuses; que toda forma de religião ou ritual deve ser respeitado pois não há uma verdade absoluta (não porque simplesmente se deve respeitar as crenças dos outros, como desejamos que respeitem a nossa).  Nossos filhos e filhas sutilmente verão o Cristianismo como um mal, pois com o passar dos anos o Ensino Religioso proposto mostrará que a religião dominante no Brasil é a base das desigualdades, quando muito mais legal é conhecer os vários mitos (e o Cristianismo entra como um desses, vide também o currículo do 3o. ano do ensino médio de história). Por fim, no 9o. ano do ensino fundamental nossos filhos e filhas aprenderão que as crenças religiosas existem pela necessidade do ser humano de tentar compreender a morte, e conhecerão a visão ateísta, niilista, ceticista e agnóstica para tal fenômeno. E assim, nossos filhos e filhas, se não fortemente firmados na Palavra de Deus, sairão do ensino fundamental totalmente descrentes de tudo que se relacione com a ideia de um Deus Todo Poderoso, que a tudo criou com o poder da Sua Palavra, que ama de forma indescritível a cada ser humano, e que por tanto nos amar enviou Seu Filho Unigênito para que pudéssemos ser livres do pecado e da morte espiritual.

tumblr_lrikopKgiR1qaetiuo1_400Você consegue ver a gravidade de tudo isso? E só estou falando do currículo proposto para duas disciplinas (História e Ensino Religioso). Falta analisar os conteúdos de Matemática, Português, Geografia, Filosofia, Sociologia, Ciências etc. E para isso conclamo aos leitores que possuem conhecimentos em alguma dessas áreas para que também façam suas análises e as coloque nos comentários, para que todos possamos ter a verdadeira abrangência do que está às portas de ser aprovado.

Como Igreja não podemos ficar inertes. No mínimo (no mínimo mesmo, pois podemos fazer muito mais), devemos repassar essas informações para o maior número de cristãos possível, e todos nós nos cadastrarmos no site http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/contribua-inicio e demonstrar nosso repúdio ao que está para ser aprovado.

Não nos calemos ante o que está por vir. Podemos até não impedir, como os profetas do Antigo Testamento não impediram Israel de pecar apesar de todos os avisos, porém o mundo saberá que ainda servimos ao Deus Vivo que abomina o pecado, e que buscamos seguir Sua vontade.

O ensino precisa de uma reforma curricular? Sim. Mas não às custas dos conhecimentos da nossa história, da história da civilização ocidental cristã.

Ainda somos protestantes?

Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: