Uma estrangeira no mundo

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

Deus deu a receita para a vitória do cristão nos tempos de crise


igreja-1O Brasil passa por um momento muito difícil. Estamos em crise política, econômica e ética. O povo se alegra com a queda do corrupto Partido dos Trabalhadores, mas se cala diante dos corruptos do novo governo (só para começar, no novo ministério há sete políticos investigados na Operação Lava-Jato – ora, se é para ter mudança, por que mudar apenas os nomes dos investigados no poder?). De 2014 para cá, temos o fantasma da inflação, embora mascarado; a perda de postos de trabalho e o fechamento de diversas empresas (basta uma caminhada num shopping ou em ruas de comércio para se verificar a quantidade de lojas com placas de “vende-se” ou “aluga-se”); o aumento do endividamento da população pois, com a alta dos preços e a perda de renda, torna-se praticamente impossível manter as contas em dia; e o novo governo ainda pretende o aumento de impostos e a adoção da terceirização das atividades-fim das empresas , o fim da CLT e o aumento da idade para aposentadoria, como formas de sanar as contas públicas. Parece não haver luz no final desse túnel.

“Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. – Mateus 5:45

A crise chegou para todos nós. Porém, Deus deixou na Sua Palavra a receita para que os cristãos passem por quaisquer crises.

No “mundo”, muitos se aproveitam da crise para enriquecer. Aumentam preços, demitem empregados e recontratam pela metade do salário. Especuladores trabalham na queda e aumento de preços de ações de grandes empresas, lucrando muito com isso. Embora milhões sofram com a crise, milhares a amam, pois através dela seu capital cresce ainda mais.

E na “igreja” não é diferente. Muitas denominações eclesiásticas ditas evangélicas têm ganho muito com a crise.

Morris-Cerullo-e-silas-malafaia-e1430224667713Quem não se lembra que, em 2009, o (im)Pastor Silas Malafaia trouxe ao seu programa (e o reprisou diversas vezes) um tal (im)Pastor Morris Cerullo, que prometia, já naquela época, que “deus” derramaria uma “unção financeira dos últimos tempos” para que os cristãos vencessem a crise que viria? Porém, para isso, “deus” havia lhe revelado que o fiel tinha que demonstrar sua fé ofertando “voluntariamente” R$ 900,00, e em troca ainda receberia “grátis” uma Bíblia de Batalha Espiritual e Vitória Financeira? Se você não se lembra, leia aqui.

E essas “profecias” de vitória na crise em troca de dinheiro não pararam por aí. Malafaia trouxe também o Dr. (em quê?) Mike Murdock, que também trazia de “deus” a receita para a riqueza do cristão nos tempos de crise: bastava doar R$ 1.000,00 ou R$ 10.000,00. Quanto mais dinheiro, mais fé e mais grana nos tempos de crise.

E esses falsos profetas foram assíduos no programa do Malafaia de 2009 a 2015, havendo um revezamento: no começo do ano um falava e pedia uma gorda oferta e no semestre seguinte o outro fazia a mesma coisa. Assim, muito dinheiro foi arrecadado para o império malafaiano, a ponto do (im)Pastor ser citado pela revista Forbes como um dos cinco pastores mais ricos do Brasil.

Uma reportagem da Revista Piauí demonstra claramente que os objetivos dos (im)pastores Malafaia, Cerullo e Murdock passam bem longe do crescimento espiritual dos seus fiéis. Na verdade, o objetivo sempre foi a arrecadação pura e simples da maior quantidade possível de dinheiro. Para entender o contexto da reportagem, Cerullo naquele ano pediu 12 pessoas com ofertas de R$ 10.011,00, e só essas 12 teriam uma bênção financeira especial. Mas na Revista Piauí, ed. 60, Malafaia se vangloriou no final da entrevista de ter, só nos 10 primeiros dias após o programa, arrecadado 10.011,00 de 145 pessoas. Ora, se eram só 12 (segundo a revelação de “deus” para Morris Cerullo), por que o (im)pastor não devolveu o dinheiro para as demais???

Veja o trecho final da reportagem:

blog105[Malafaia] Terminou a conversa revelando o resultado dos pedidos de oferta. Em menos de dez dias, 145 pessoas haviam doado os 10 011 reais e outras 2 mil, os 911 reais. “Alguma compensação eles devem ter, não acha?”, perguntou.

Perceba o “tom espiritual” do (im)pastor ao informar o repórter. Não fosse pela vaidade de mostrar ao jornalista que seu “negócio” é lucrativo (afinal, segundo Malafaia, em apenas dez dias ele lucrou R$ 3.273.595,00 totalmente livres de impostos), não teríamos essa verdade escancarada na imprensa. Porém, creio que Deus permitiu que isso acontecesse justamente para que todos tenhamos a certeza do que se trata (negócios humanos usando de forma abominável do Santo Nome do Senhor) e assim ninguém diga, naquele Dia, que não foi avisado sobre o lobo em pele de cordeiro.

Tempos depois, a “marolinha” virou um tsunami e a crise chegou, se arrefecendo do ano passado para cá. E nem o (im)Pastor Silas Malafaia saiu incólume dessa. A coisa ficou tão ruim para o lado dele que, além de ter que demitir 40% do seu pessoal no ano passado (e esse ano deve ter demitido ainda mais gente), Malafaia ainda teve que parar com suas “cruzadas evangelísticas”. E, com a crise no Rio de Janeiro (que não está nem conseguindo pagar os aposentados), o (im)Pastor não conseguiu esse ano “apoio” da prefeitura e assim não haverá sua “Marcha para Jesus”.

Se nem o Malafaia conseguiu a tal “unção financeira”, o que falar dos milhares que têm ofertado em seu ministério desde 2009? Esses, com uma ou outra exceção, devem estar amargando os dissabores da crise – alguns até podem ter se desviado da fé por conta dessas falsas profecias.

biblemoneyMas não apenas Malafaia se beneficiou do medo da crise. (Im)pastores como Agenor Duque, Renê Terra Nova, Samuel Ferreira, Edir Macedo, Valdemiro Santiago, R. R. Soares, Estevam Hernandes e muitos outros que os seguem também durante anos pediram – e ainda pedem! – gordas ofertas para que seus fiéis provem sua fé e sejam recompensados financeiramente nesses dias de crise. Porém, cadê as estatísticas do aumento de milionários entre os que se intitulam evangélicos?

Não há. E não haverá. Pois a receita de Deus para que os cristãos passem pela crise não é a venda de bênçãos, não é o fiel dar o dinheiro que o falso profeta estipulou como sendo revelação divina para que, em troca, “deus” enriqueça o fiel em detrimento do resto do mundo. O que esses falsos líderes e falsos profetas têm feito é agir como alguns inescrupulosos empresários do “mundo”, ou seja, se aproveitando do medo da crise para aumentar sobremaneira seus impérios eclesiásticos. Em outras palavras, não são pastores de ovelhas: são especuladores da fé.

E como riqueza e poder nunca é demais, esses (im)pastores não apenas tosquiam suas ovelhas financeiramente, mas também se aliam a lideranças políticas para assim conseguir mais facilmente benesses pessoais e para suas denominações.

Mas cadê a receita de Deus para o cristão passar pela crise em vitória?

E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;
Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar.
E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.
De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas,
E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.
E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.
E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.
E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister.
E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,
Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.
Atos 2:38-47

Veja que diferença entre a doutrina dos apóstolos (de verdade) e a dos líderes gospel do nosso tempo! Enquanto atualmente é até vergonhoso se declarar “evangélico” (por conta de todos os escândalos que esses falsos líderes têm trazido à igreja e ao mundo), na Igreja Primitiva os cristãos caíam na graça do povo, ou seja, eram respeitados e até admirados por seu testemunho de vida e de fé. Não há uma única passagem de venda de bênçãos (financeiras ou não), nem nenhuma aliança com os políticos da época para que a igreja crescesse. E, embora em meio às crises da época (só para começar, o povo judeu era colonizado pelo Império Romano), entre os cristãos não havia desamparados, pois quem tinha mais dava R$ 900,00 para o Apóstolo (de verdade) Pedro, para que ele fizesse uma oração forte e determinasse a Deus que Ele tinha porque tinha que abençoar ricamente o fiel.

Não! Nada disso!

Não havia desamparados pois quem tinha dividia com quem não tinha, e o dinheiro dado aos apóstolos não era utilizado na construção de templos suntuosos ou na compra de mansões de frente para o mar da Galileia e belas carruagens para o conforto e o desfrute dos homens de Deus, mas para suprir os necessitados.

Porque pareceu bem à macedônia e à Acaia fazerem uma coleta para os pobres dentre os santos que estão em Jerusalém. – Romanos 15:26

Na Igreja Primitiva, o amor ao próximo era realmente vivenciado. As ofertas eram para a provisão dos mais humildes, que supridos ficavam em paz durante as crises.

Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.
E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra;
Conforme está escrito:Espalhou, deu aos pobres;a sua justiça permanece para sempre.
Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça;
Para que em tudo enriqueçais para toda a beneficência, a qual faz que por nós se dêem graças a Deus.
Porque a administração deste serviço, não só supre as necessidades dos santos, mas também é abundante em muitas graças, que se dão a Deus. – 2 Coríntios 9:7-12

Se os falsos profetas fossem verdadeiros, ao invés de juntar tesouros pessoais e para suas denominações estariam utilizando as ofertas em favor dos necessitados, como ensina a Palavra de Deus. Quantas vezes, em obediência ao (im)pastor, não damos tudo o que temos para a denominação quando, ao nosso lado no banco da igreja ou até mesmo em nossa vizinhança ou família há pessoas implorando por provisão? Mas não, melhor obedecer ao (im)pastor, pois ele diz que “deus” vai nos dar cem vezes mais em troca. Como somos gananciosos, mesmo com uma máscara de santidade!

Outras igrejas despojei eu para vos servir, recebendo delas salário; e quando estava presente convosco, e tinha necessidade, a ninguém fui pesado.
Porque os irmãos que vieram da macedônia supriram a minha necessidade; e em tudo me guardei de vos ser pesado, e ainda me guardarei. – 2 Coríntios 11:8,9

De forma alguma estamos pregando que não se deve dar ofertas na igreja. Devemos ofertar sim! Porém, a crítica é para quem oferta esperando riquezas em troca e para quem recebe as ofertas e não as destina conforme a Bíblia: para a provisão dos necessitados.

E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.
E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão.
Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido. – Lucas 19:8-10

Jesus não prometeu a Zaqueu que ele ficaria rico se desse seu dinheiro ao templo. Porém, Zaqueu realmente entendeu a mensagem do Evangelho e de pronto se dispôs não apenas a devolver com altíssimos juros a quem tinha defraudado, como também direcionou muito dinheiro para o auxílio aos pobres. E tudo isso sem promessa de riquezas terrenas, “apenas” a promessa de salvação espiritual.

Será que algum (im)pastor teria a fé de Zaqueu?

Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos.
E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha.
Então José, cognominado pelos apóstolos Barnabé(que, traduzido, é Filho da consolação), levita, natural de Chipre,
Possuindo uma herdade, vendeu-a, e trouxe o preço, e o depositou aos pés dos apóstolos. – Atos 4:34-37

O falso evangelho ensina que devemos ofertar na esperança de que “deus” nos restituirá muitas vezes mais. O verdadeiro Evangelho já diz o contrário: que não é possível alguém se dizer cristão e continuar rico, tendo ao seu redor muitas pessoas necessitando de ajuda. Isso se chama avareza.

solidariedade_12A receita de Deus para a vitória do cristão em tempos de crise é: siga Minha Palavra. Auxiliem-se uns aos outros, provejam uns aos outros. Assim, nada faltará a ninguém. Afinal,

E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga.
Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?
Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.
E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis.
Mais é a vida do que o sustento, e o corpo mais do que as vestes.
Considerai os corvos, que nem semeiam, nem segam, nem têm despensa nem celeiro, e Deus os alimenta; quanto mais valeis vós do que as aves?
E qual de vós, sendo solícito, pode acrescentar um côvado à sua estatura?
Pois, se nem ainda podeis as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras?
Considerai os lírios, como eles crescem; não trabalham, nem fiam; e digo-vos que nem ainda Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles.
E, se Deus assim veste a erva que hoje está no campo e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé?
Não pergunteis, pois, que haveis de comer, ou que haveis de beber, e não andeis inquietos.
Porque as nações do mundo buscam todas essas coisas; mas vosso Pai sabe que precisais delas.
Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. – Lucas 12:19-31

Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir.
As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça.
O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias.
Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuído, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos exércitos.
Deliciosamente vivestes sobre a terra, e vos deleitastes; cevastes os vossos corações, como num dia de matança.
Condenastes e matastes o justo; ele não vos resistiu. – Tiago 5:1-6

Mas é grande ganho a piedade com contentamento.
Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele.
Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes.
Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína.
Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.
Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas. – 1 Timóteo 6:6-12

Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,
Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado;
Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. — Hebreus 11:24-26

E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro,
Dizendo: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo.
Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro.
Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus.
Arrepende-te, pois, dessa tua iniqüidade, e ora a Deus, para que porventura te seja perdoado o pensamento do teu coração;
Pois vejo que estás em fel de amargura, e em laço de iniqüidade. – Atos 8:18-23

E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.
E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.
E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita. – 2 Pedro 2:1-3

E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência,
E a paciência a experiência, e a experiência a esperança.
E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. – Romanos 5:3-5

Deus usa Seu povo para o cumprimento de Suas promessas. E Seu povo ouve Sua voz e O obedece.

Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.
Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.
Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;
Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes.
Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos?
Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim.
E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna.
Mateus 25:34-46

Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar!

5 comentários em “Deus deu a receita para a vitória do cristão nos tempos de crise

  1. welandro
    14/05/2016

    Texto excelente! Pode chocar quem está iniciando sua maturidade na fé, mas é uma reflexão necessária.

    Eu nem acompanho esses programas de pedição na TV, dá tristeza e vergonha, mas quando busco na internet isso que é citado aqui, acho com facilidade, pois é verdade esse herege cenário gospel nacional.

    Curtir

  2. Marcos (Cadeirante)
    14/05/2016

    A Igreja canta a bonita canção “Como Zaqueu”, e os cristãos dizem que assim como Zaqueu eles também querem subir, contudo a maioria não quer fazer o mesmo que ele fez com o seu dinheiro.

    ” E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado. E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão.” Lucas 19.8,9

    Curtir

  3. Antonio Martins
    16/05/2016

    Que Deus continue te abençoando com Seu Espírito, mas é necessário que existam hipócritas nas denominações para que o justo se manifeste. E certamente Deus está vendo. Fique na Paz.

    Curtir

  4. anonimo
    16/05/2016

    Sinceramente, esses caras deveriam sobreviver de coisas fora da igreja. ou de coisas relacionadas a ela.
    Mas eles não conseguem ficar sem explorar as coisas da igreja.
    Todos eles dizem que vivem da “obra” ou de coisas relacionadas “a obra”.
    Deveriam trabalhar e contribuir com seus dízimos e ofertas como todos fazem.

    Curtir

  5. Edie
    24/06/2016

    O AMOR AO DINHEIRO É A RAIZ DE TODOS OS MALES.
    MUITOS DIRÃO A MIM: NÃO TEMOS NÓS PROFETIZADO EM TEU NOME?
    EM TEU NOME NÃO EXPULSAMOS DEMÔNIOS?
    ENTÃO JESUS LHES RESPONDE: NUNCA OS CONHECI.
    AFASTAI-VOS DA MINHA PRESENÇA, VÓS QUE PRATICAIS O MAL.
    QUEM SUSTENTA ESSES FALSOS LÍDERES. NÃO É DEUS, E SIM UM POVO QUE NÃO ESTUDAM A PALAVRA DE DEUS, SE ASSIM O FIZESSE DESCOBRIRIAM QUE ESTÃO SENDO ENGANADO, FICAM CEGOS AO SEGUIR E COLOCAR SUAS VIDAS NAS MÃOS DOS ESTELIONATÁRIOS DA FÉ.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: