Uma estrangeira no mundo

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

O ódio está direcionando o voto de boa parte dos cristãos no Brasil?


jairbolsonaro-1Antes de iniciar este artigo deixa eu colocar a armadura, pois o festival de pedradas promete ser grande. Mas ainda assim preciso escrever.

Daqui a dois meses teremos eleições presidenciais, para o governo dos Estados, para o Senado e a Câmara dos Deputados. É daquelas eleições onde muitos simplesmente copiarão os números nos “santinhos” que alguém lhes entregar na entrada do local de votação, pois se já é difícil decorar um ou dois números, imagina escolher os candidatos e decorar os números para tantos cargos!

Assim, obviamente estão mais em evidência as candidaturas à Presidência e ao Governo Estadual. O que é um grande erro, pois temos visto a importância que os deputados e senadores têm, inclusive com o poder de tirar presidentes ou de fechar os olhos para suas corrupções em troca de dinheiro para emendas parlamentares.

Mas enfim, o que tem me assustado é o crescimento de uma candidatura como a de Bolsonaro entre os evangélicos. Se ele crescesse entre os militares, nenhuma surpresa; entre os grupos de extrema direita, também nenhuma surpresa; entre os racistas e os machistas, também totalmente explicável. Mas, entre os que se dizem cristãos???

“Por isso que o cara paga menos para a mulher! É muito fácil eu, que sou empregado, falar que é injusto, que tem que pagar salário igual. Só que o cara que está produzindo, com todos os encargos trabalhistas, perde produtividade. O produto dele vai ser posto mais caro na rua, ele vai ser quebrado pelo cara da esquina. Eu sou um liberal, se eu quero empregar você na minha empresa ganhando R$ 2 mil por mês e a Dona Maria ganhando R$ 1,5 mil, se a Dona Maria não quiser ganhar isso, que procure outro emprego! O patrão sou eu”.

“Mas aí a mulher se ferra porque engravida?”, questionou o entrevistador. “É liberdade, pô. A mulher competente… Ou você quer dar cota para mulher? Eu não quero ser carrasco das mulheres, mas, pô… “, finalizou. (fonte: Revista Crescer)

O mundo jaz no Maligno, e por isso vive movido a ódio e ao medo, e a todos os sentimentos que advém desses dois (ciúmes, inveja, vaidade, egoísmo etc). Por conta do ódio e do medo e cia., homens e mulheres, em atitude de sobrevivência, buscam um inimigo externo (que seja culpado pelo que lhes dá ódio e/ou medo) e creem que, aniquilando-o, esses maus sentimentos também desaparecerão.

Quando o programa “CQC” foi ao ar, a pergunta, previamente gravada, foi apresentada no quadro do programa intitulado “O povo quer saber”: “Se seu filho se apaixonasse por uma negra, o que você faria?” Bolsonaro respondeu: “Preta, não vou discutir promiscuidade com quer que seja. Eu não corro esse risco, e meus filhos foram muito bem educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o teu.” (fonte: G1)

bolsonarocunhaE isso acontece desde que o mundo é mundo. Sempre se elegeu um inimigo (tendo ele culpa ou não) para se justificar medidas ditatoriais e genocidas. O imperador Nero, por exemplo, provavelmente cansado da arquitetura de Roma, dizem que botou fogo na cidade. Enquanto ela ardia em chamas, o imperador tocava harpa. Ao final do grande incêndio, o povo estava arruinado e furioso e alguém precisava ser punido. E então apontou-se os cristãos como os culpados pela tragédia, o que culminou com uma perseguição ainda mais terrível e a pena capital sendo aplicada contra centenas ou até milhares de cristãos, torturados e mortos por crucificação, queimados nas ruas para iluminar a cidade e jogados às feras como triste espetáculo nas arenas romanas, tudo isso para aplacar o desejo de vingança daqueles que tudo perderam, menos o ódio e o medo.

“Na manhã desta terça-feira, 23, Bolsonaro participou do “Jornal da Manhã”, da rádio Jovem Pan, e explicou o ocorrido. Segundo o deputado, quando começaram as eleições de 2014, o presidente do PP, Ciro Nogueira, ligou para ele e disse que ia colocar R$ 300 mil em sua conta. “Disse que tudo bem, mas que colocasse R$ 200 mil na minha conta e R$ 100 mil na do meu filho. Quando vi o nome da Friboi, perguntei se queriam estornar”, disse. Jair afirma ainda que ia para a Câmara dos Deputados jogar R$ 200 mil e dizer que é dinheiro do povo, “porque foi dinheiro que pegaram do PT para se coligar com o meu partido”.

Na entrevista, o deputado alegou que o dinheiro que entrou em sua conta foi do fundo partidário e que devolveu o dinheiro da Friboi. Questionado por um dos âncoras do programa se o partido cometeu uma ilegalidade ao repassar dinheiro da empresa JBS para sua campanha, o deputado concordou e perguntou: “você queria que fizesse o que naquela época?”.

Jair Bolsonaro admitiu que o PP recebeu propina da JBS. “Partido recebeu propina sim, mas qual partido não recebe propina?”, ponderou. No decorrer da conversa, o político se justificou dizendo que sabia do dinheiro da Friboi, mas que não queria o dinheiro. Apesar de admitir a ilegalidade cometida pelo PP, Jair Bolsonaro pediu que não fosse “rotulado de corrupto”. (fonte: O Povo Online)

O ódio e o medo são responsáveis pela subida de muitos ditadores ao poder. O ódio e o medo das bruxas e dos hereges, considerados os responsáveis por todas as desgraças da mística Idade Média, trouxeram à tona a Inquisição; o ódio e o medo do ditatorial governo Fulgêncio Batista levaram à subida de Fidel Castro em Cuba; o ódio e o medo dos judeus, que, bem sucedidos, foram responsabilizados pela crise na Alemanha, culminaram com a ascensão de Adolph Hitler; o ódio da inflação galopante e o medo de que a situação conseguisse ficar ainda pior levaram o “caçador de marajás” (resultado de uma bem sucedida estratégia de marketing) Fernando Collor de Mello à presidência do Brasil.

“Em abril do ano passado, diante de uma plateia cheia no auditório do Clube Hebraica, da comunidade judaica e localizado na zona sul do Rio, Bolsonaro debochou de quilombolas – disse que “o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas (…) Não fazem nada, eu acho que nem pra procriador servem mais” e “alguém já viu um japonês pedindo esmola por aí? Não, porque é uma raça que tem vergonha na cara. Não é igual a essa raça que tá aí embaixo, ou como uma minoria que tá ruminando aqui do lado…”

Afirmou ainda: “Foram quatro (filhos) homens, a quinta eu dei uma fraquejada, veio uma mulher, ela tem seis anos de idade e foi feita sem aditivos, acredite se quiser”, “os gays lá no país que vocês defendem esse tipo de ideologia foram executados e, mais ainda, os lideres do candomblé lá em Cuba também foram pro paredão” e “se algum idiota vier falar comigo sobre misoginia, homofobia, racismo, ‘baitolismo’, eu não vou responder sobre isso.” As declarações motivaram repúdio público à época, dentro e fora da comunidade judaica.” (fonte: Estadão)

Tenhamos em mente que sempre que o ódio e o medo chegam ao poder, ele se lança contra as minorias. Os cristãos eram minoria nos tempos de Nero; os judeus, minoria na Alemanha; os hereges e as “bruxas”, minoria na predominantemente católica Idade Média. E justamente porque o ódio e o medo são sentimentos covardes, só afloram publicamente através do coletivo. Assim, um corinthiano nunca vai gritar “não tem Mundial” para um grupo de palmeirenses, mas um grupo de corinthianos pode espezinhar e até agredir um único palmeirense que por azar lhe cruza o caminho.

Atualmente, no Brasil, somos de maioria cristã. Assim como na Idade Média. (isso não deveria ser preocupante – ou deveria?)

“É difícil ser patrão no Brasil. Eu poderia ter uma microempresa comigo, mas, dadas as condições que existem na lei, você é desestimulado para isso. Acho que, no campo, a CLT tinha que ser diferente. O homem do campo não pode parar no Carnaval, sábado, domingo e feriado. A planta ali vai estragar, ele tem que colher. E fica oneroso demais o homem do campo observar essas folhas nessas datas, como existe na área urbana”, afirmou.

A fala se insere no contexto de declarações recentes do deputado, com uma visão liberal sobre as políticas de trabalho e emprego. Em maio, durante uma palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), Bolsonaro disse que flexibilizar a legislação trabalhista pode reduzir os direitos dos empregados, mas teria poder para melhorar a situação do desemprego no país. “Aos poucos, a população vai entendendo que é melhor menos direitos e [mais] emprego do que todos os direitos e desemprego”, disse.

Além de manifestar-se sobre leis que considera excessivamente abrangentes, Bolsonaro argumentou que “o que está reduzindo emprego é a mecanização”, contra a qual não haveria o que fazer. “Essas pessoas têm que ser treinadas para fazer outra coisa”, defendeu, questionando também multas “excessivas” por parte de órgãos de controle ambiental.” (fonte: Veja)

bolsonaro-roda-vivaNa Idade Média, o Cristianismo já havia se contaminado. Em muito pouco se assemelhava à Igreja Primitiva. Líderes religiosos tornaram-se poderosos e ricos, distanciando-se do rebanho que deveriam guiar e proteger; aproximaram-se do Estado, buscando maiores benesses materiais e a construção de melhores e mais lindas catedrais, como pontos de referência do poder que emanavam; passaram a necessitar cada vez mais de dinheiro, e para isso inventaram doutrinas como a das indulgências, na qual o fiel teria os pecados perdoados bastando comprar as relíquias vendidas pelos representantes de “Deus”; para evitar rebeliões, inventaram a Inquisição e a pena capital para tentar calar os poucos que ousassem criticar os caminhos que o Cristianismo estava tomando.

Alguma semelhança com a igreja brasileira atual? Para melhorar tal semelhança, troque a palavra Inquisição por “doutrina do não toqueis no ungido” e “maldição do pecado de rebelião”.

Refazendo a pergunta: alguma DIFERENÇA entre boa parte da igreja brasileira atual e a da Idade Média?

“Curitiba — Diante de cerca de 2 mil apoiadores, vários deles fardados e armados, o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), pré-candidato à Presidência, fez mais uma vez apologia ao uso de armamento de fogo, inclusive por civis. “Na próxima vez quero ver 200 pessoas armadas aqui dentro”, disse ele, sob aplausos, ao participar de um almoço de adesão em um restaurante tradicional de Curitiba.

“A arma, mais que a defesa da vida, é a garantia da nossa liberdade”, justificou, acompanhado dos deputados Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) e Fernando Francischini (PSL-PR), além do ator Alexandre Frota – já anunciado pelo pré-candidato como seu ministro da Cultura, caso seja eleito.

Durante o evento, no qual cada presente pagou R$ 45 para participar, o presidenciável recebeu de presente um boneco com sua imagem, com faixa presidencial e fuzil nas mãos.

Eduardo Bolsonaro reforçou o tom bélico. “Presidente tem que meter bala em vagabundo e não formar quadrilha com eles”, disse.” (fonte: Revista Exame)

Houve uma única tentativa, nos Evangelhos, de revide através da violência. É a passagem em que o discípulo Pedro, na boa intenção de proteger ao seu Mestre Jesus, sacou de sua espada e cortou a orelha de um soldado.

“Mas Jesus disse a Pedro: Põe a tua espada na bainha; não beberei eu o cálice que o Pai me deu?
Então a coorte, e o tribuno, e os servos dos judeus prenderam a Jesus e o maniataram.” –  João 18:11,12″

Muitos cristãos atuais, sedentos por vingança e sangue, justificam a pena de morte com passagens do Antigo Testamento. Mas não levam em consideração que no Novo Testamento, na Nova Aliança, naquela em que devem viver uma vez salvos em Cristo, a pena de morte, a tortura, o olho por olho dente por dente não têm mais vez.

“Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente.
Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra;
E, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa;
E, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas.
Dá a quem te pedir, e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes.
Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo.
Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;
Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.
Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo?
E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim?
Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus.” – Mateus 5:38-48

Vejam bem: Jesus deixa claro que antes havia o olho por olho dente por dente, que antes se deveria odiar e amaldiçoar os inimigos (quem nunca leu Salmos?). Só que isso era ANTES. Jesus Cristo veio nos dar outro mandamento: amar aos nossos inimigos, dar a outra face a quem nos esbofeteia e não apenas isso, NÃO DAR LUGAR AO ÓDIO E AO MEDO. Dar lugar ao amor, abençoando aos inimigos.

Se os cristãos da Idade Média tivessem entendido isso, não haveria a vergonhosa Inquisição e tantas outras tragédias, como a Noite de São Bartolomeu.

Se os cristãos no século passado tivessem entendido isso, Hitler não teria tido êxito em seu genocídio judeu.

Se os cristãos de hoje entenderem isso, não justificarão o ódio e o medo da corrupção e da insegurança colocando uma pessoa que nada tem de cristã, mas que exala ódio e medo – os mesmos sentimentos que levaram Pedro a levantar a espada, Nero a incendiar Roma e culpar os cristãos, sacerdotes a queimarem pretensas bruxas na fogueira e por aí vai.

Eu e você podemos votar no Bolsonaro ou em qualquer outro por “n” motivos. Só não coloque entre esses motivos o tal candidato ser cristão. Ele não exala o perfume de Cristo. Ele não transmite os ensinamentos de amor, de acepção de pessoas, de busca pela justiça e de perdão de Jesus. Ele não espelha a Cristo.

Atualmente preciso de óculos (espirituais). Talvez por isso, quando eu vejo o Bolsonaro, eu enxergo espiritualmente uma mistura de Collor com Malafaia e cia.

bolsonaro-malafaia.jpg.pagespeed.ic.tE-_9yqXWe

Que Deus nos dê a visão verdadeira.

Que Deus nos dê sabedoria, pois esse ano está ainda mais difícil escolher um candidato.

Que o ódio e o medo não nos levem a tomar uma má decisão.

Que o amor de Cristo nos inunde e transborde sobre todos à nossa volta. Só o amor de Cristo pode mudar nossa sociedade.

“Nisto é aperfeiçoado em nós o amor, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos também nós neste mundo.
No amor não há medo, antes o perfeito amor lança fora o medo; porque o medo envolve castigo; e quem tem medo não está aperfeiçoado no amor.
Nós amamos, porque Ele nos amou primeiro.
Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, não pode amar a Deus, a quem não viu.
E dele temos este mandamento, que quem ama a Deus ame também a seu irmão. – 
1 João 4:17-21″

Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar!

A DEUS toda a honra e toda a glória para sempre.

12 comentários em “O ódio está direcionando o voto de boa parte dos cristãos no Brasil?

  1. Evandro Santos Ferreira
    05/08/2018

    O ódio cega as pessoas e ele é um precedente a violência. Que Deus tenha misericórdia de nós.

    Curtir

  2. José Vicente de Sousa Neto
    05/08/2018

    Eu entendo seus medos, mas quase posso garantir que Bolsonaro fará um bom governo. Se deixarem, claro. Eu fui sargento da aeronáutica e vivenciei o governo militar como militar e um pouco como civil. Nenhuma instituição se compara às escolas militares quanto à formação do caráter. O que houve no governo militar foi o excesso de alguns, porque sempre existirão as frutas podres, as ovelhas negras, etc.
    Quando eu era militar tinha porte de arma e andava ostensivamente armado. Nunca tentaram tomar minha arma, nunca fui desacatado ou hostilizado e nunca ameacei sacar minha arma contra quem quer que fosse. Os meus colegas de farda agiam da mesma forma. Nós éramos, acima de tudo, cidadãos, e participávamos ativamente dentro da sociedade
    Na minha opinião, em termos de caráter, Bolsonaro é imbatível. E posso garantir que ele não prega o ódio, e sim a ordem e a disciplina. Ao contrário dos outros, incluindo os evangélicos, ele se recusa a dizer o que o povo quer ouvir.
    traçando um paralelo com a política americana, eu torci muito pela Hillary e tinha medo do Trump. Assim como Bolsonaro, Trump não media as palavras e falava muitas asneiras.Hoje ele superou, e muito, o Obama, como estadista.
    Bolsonaro choca porque não se esconde atrás de um personagem. Ele é apenas um cidadão, com seus erros e acertos.
    Fui evangélico durante um bom tempo e posso dizer que tanto na política como nas igrejas, o importante é parecer, e não ser.
    os mais espertos sabem que ninguém nunca leva em conta a imensa capacidade que o ser humano tem de mentir e fingir. Judas Escariotes parecia ser um bom discípulo. E Pedro, que não fingia, volta e meia fazia ou dizia besteira.
    Recentemente, tivemos o caso de um pastor que queimou os filhos vivos e na noite do mesmo dia fez uma pregação fervorosa.
    Acredito nas boas intenções de Bolsonaro e vou votar nele.

    Curtir

    • JANIO IESO
      10/08/2018

      VOCÊ FOI CONTAMINADO ATÉ A MEDULA,NÃO HÁ COMO RETORNAR.FOI CONTAMINADO PELO FILHO DO DIABO.

      Curtir

  3. Christian
    05/08/2018

    Discordo do amado que diz que Bolsonaro é imbatível em caráter. Quem tem caráter não vive dizendo algo e depois diz que não disse. Uma pessoa que tem caráter não usa fake news para se promover, como por exemplo o vídeo que ele tem rodando por aí dizendo que Casagrande não pode falar dele porque reconheceu em uma entrevista que sempre foi fã de Lúcifer. Só que Bolsonaro só mostra essa parte da entrevista, omitindo a parte em que Casagrande afirma ter encontrado Jesus. Quem tem caráter não permite as montagens de vídeo induzindo as pessoas ao erro contando mentiras.
    Concordo plenamente com o artigo: cristão que entende verdadeiramente a mensagem de Jesus não se identifica com pessoas como Bolsonaro, que prega a violência, a acepção de pessoas e tantas outras coisas contrárias ao Evangelho.
    Além disso, fico pensando, sua maior glória é dizer que foi militar. Ernesto Geisel, em seu livro, o chama de mau militar. Praticamente foi expulso do Exército por ações quase terroristas. Foi condenado e depois absolvido por falta de provas mais contundentes. Em quase 30 anos de política, foi inexpressivo. De 170 projetos, só aprovou 3. Diz que não aprovou projetos só por serem seus. Só teve algum destaque por se envolver em polêmicas. Resumindo, não foi bom militar nem deputado. Como vai conseguir governar? Até para conseguir um vice teve dificuldade e só conseguiu fechar com um que é militar como ele, mas que chegou a chamar alguns defensores radicais de Bolsonaro de boçais. Não conseguiu se aliar com outros partidos, ou seja, está isolado. Se se eleger, como vai conseguir apoio para seus projetos, pois vai depender da câmara e do senado? Para mim, Bolsonaro é a pior opção para nosso país. Infelizmente, seus eleitores já fecharam a mente para qualquer racionalismo, então, só nos resta orar muito, pois só Deus pode consertar a bagunça que está nosso país agora.

    Curtir

  4. José Vicente de Sousa Neto
    07/08/2018


    https://polldaddy.com/js/rating/rating.jsBom dia, Christian
    Ao me chamar de amado, sem me amar, você se comporta igualzinho aos nossos políticos que saem beijando criancinhas amorosamente durante a campanha eleitoral.
    Como eu disse, no nosso país o importante é “parecer” e não, “ser”. ao se referir a mim como “amado” você quer passar a imagem de uma pessoa amável e piedosa, mas seu ataque gratuito aos eleitores do Bolsonaro mostra o contrário. Porém, não é de estranhar. Na maioria das igrejas evangélicas a verdade não entra. e se entrar, a igreja acaba.
    Na verdade, toda a autoridade emana de Deus, para o bem ou para o mal e a bíblia mostra isso claramente.
    Eu não ataco candidato nenhum, eleitor nenhum, mas vou votar no Bolsonaro!

    Curtir

    • Christian
      23/08/2018


      https://polldaddy.com/js/rating/rating.jsSeu comentário nada mais faz que reforçar o que eu disse. Em momento nenhum “ataquei” ninguém, nem o próprio candidato, nem você AMADO, nem os outros eleitores dele. Apenas expressei uma opinião, como todos têm direito a fazer. Repito a forma de chamá-lo, pois e uma forma bíblica de se referir a outro cristão(ã). Você tornou pessoal algo que não era e enxergou ataque onde não havia. É aí que aparece o ódio mencionado no artigo, totalmente contrário aos ensinamentos de Jesus, cuja essência era o amor, tanto dEle por nós quanto de nós uns para com os outros, tanto que seus discípulos usavam a expressão amado(a) para se referir uns aos outros.

      Curtir

  5. Débora
    07/08/2018

    Esta matéria está tendenciosa, parece escrita por um cristão progressista, desculpe, não sei se é o seu caso. Faltou colocar os bons motivos pelos quais muitos cristãos irão votar no Bolsonaro. Ele irá combater a ideologia de gênero nas escolas, é contra o kit gay, o aborto, a legalização das drogas, é a favor da família. Creio que esses são os principais motivos que muitos cristãos irão votar no Bolsonaro. Os outros motivos pontuados na matéria se fossem da maneira que foram colocados não seriam bons, mas as fontes colocadas na matérias são da mídia esquerdista que odeia o deputado, precisam ser confrontadas com outras fontes principalmente em vídeos nos quais o próprio deputado já esclareceu o assunto. Nos últimos dois programas (TV Cultura e GloboNews), esclareceu vários. Sobre o armamento de civis é para legítima defesa. No evangelho, no qual Pedro está armado com a espada, deixa claro que Jesus não mandou Pedro jogar a espada fora, apenas colocar na bainha, sendo portanto um costume na época usarem espada para defesa. Lucas 12:39 Jesus deixa claro a legítima defesa do pai de família. “Sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.”

    Curtir

  6. José Vicente de Sousa Neto
    07/08/2018

    Perfeito, Débora. Comentário lúcido e esclarecedor. O fato de Bolsonaro ser rejeitado pela imprensa e pelos políticos é muito positivo. Honestidade, no Brasil, não é qualidade, é defeito.

    Curtir

  7. José Vicente de Sousa Neto
    12/08/2018

    O bordão de um antigo personagem da escolinha do professor Raimundo se aplica ao Jânio: “A ignorança é que astravanca o pogresso!”. O mundo gospel tem de tudo… hehehe.

    Curtir

  8. Luiza
    16/08/2018

    esse boçal está sendo tratado como um novo messias, pelos crentelhos

    Curtir

  9. marcos roberto do nascimento rosa
    21/08/2018

    Minha mãe sempre diz: “Tome cuidado com quem fala demais”. Sempre que ignorei este dito eu me dei mal.

    Curtir

  10. Junior
    13/11/2018

    Pura pilantrage falar coisa de gente sem carater que votar no bolsonaro e sentimento de odio, votei no bolsonaro porque sou cristao e votar em comunistas e uma contradição para quem e cristao, e BOLAONARO E O UNICO COM CONDIÇÕES PARA GOVERNAR O BRASIL!

    Curtir

Deixe uma resposta para Christian Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 05/08/2018 por em Ser estrangeira e marcado , , , , , , , .
%d blogueiros gostam disto: