Uma estrangeira no mundo

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

O Evangelho segundo o Profeta da Teologia da Prosperidade


blog151Evangelhos, há muitos. Quatro estão na Bíblia que conhecemos, mas há alguns evangelhos ditos apócrifos. Os espíritas escreveram O Evangelho segundo o Espiritismo, e até o escritor português Saramago fez sua versão dos evangelhos na obra O Evangelho segundo Jesus Cristo.

Ou seja, cada um quer escrever sobre Jesus, mas claro, puxando a sardinha para o seu lado.

Como estou empreendedora hoje, penso que falta nas estantes das livrarias O Evangelho segundo a Teologia da Prosperidade. Sim, pois o evangelho pregado pelos profetas, pastores, missionários, apóstolos (?), bispos, patriarcas (???) e afins que seguem a Teologia da Prosperidade é bem diferente do Evangelho descrito na Bíblia.

O Evangelho segundo o Profeta da Teologia da Prosperidade

A multiplicação dos pães e peixes (Mateus 14.14-22)

E, Jesus, saindo, viu uma grande multidão, e possuído de íntima compaixão para com ela, curou os seus enfermos.
E, sendo chegada a tarde, os seus discípulos aproximaram-se dele, dizendo: O lugar é deserto, e a hora é já avançada; despede a multidão, para que vão pelas aldeias, e comprem comida para si.
Jesus, porém, lhes disse: Não é mister que vão comprar pelas aldeias; venda-lhes vós de comer.
Então eles lhe disseram: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes.
E ele disse: Trazei-mos aqui.
E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a erva, tomou os cinco pães e os dois peixes, e, erguendo os olhos ao céu, os abençoou, e, partindo os pães, deu-os aos discípulos, e os discípulos os venderam à multidão por um bom preço (afinal, os pães e peixes tinham sido ungidos por ninguém menos que Jesus, e nesse caso a oferta de amor tinha que ser alçada).
E comeram todos os que tinham dinheiro para pagar, e saciaram-se; e levantaram dos pedaços, que sobejaram, doze alcofas cheias (que foram vendidos durante todos os cultos da campanha das 7 sextas-feiras fortes).
E os que comeram foram quase cinco mil homens, além das mulheres e crianças.
E logo ordenou Jesus que os seus discípulos entrassem no barco, e fossem adiante para o outro lado, enquanto despedia a multidão.

O jovem rico (Lucas 18.18-24)

E perguntou-lhe um certo príncipe, dizendo: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna?
Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus.
Sabes os mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe.
E disse ele: Todas essas coisas tenho observado desde a minha mocidade.
E quando Jesus ouviu isto, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; faça uma oferta alçada para meu ministério, pois Deus se agrada de quem cuida da casa dele, dê trízimos e participe de todas as campanhas financeiras, e terás um tesouro na terra cem vezes maior.
Mas, ouvindo ele isto, ficou muito alegre, porque era muito rico.
E, vendo Jesus que ele ficara muito alegre, disse: Você é uma bênção, vou te colocar como um dos meus doze na direção do meu ministério!

O lava-pés (João 13.2.10)

E, acabada a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse,
Jesus, sabendo que o Pai tinha depositado nas suas mãos todas as coisas, e que havia saído de Deus e ia para Deus,
Levantou-se da ceia, arrumou as vestes, e, tomando uma toalha, entregou-a a seus discípulos.
Depois deitou água numa bacia, e ordenou que cada um lhe lavasse os pés, e os enxugasse com a toalha.
Aproximou-se, pois, de Simão Pedro, que lhe disse: Senhor, você quer que eu lave os seus pés?
Respondeu Jesus, e disse-lhe: O ato profético que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois.
Disse-lhe Pedro: Nunca lavarei  seus pés. Humilhação tem limite. Respondeu-lhe Jesus: Se não os lavar, não tens parte comigo. Vou te expulsar do ministério, deixar de pagar seu salário razoável, não pagarei mais a escola dos seus filhos e as mensalidades do condomínio de luxo que a igreja tem bancado para você e sua família.
Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não só os seus pés, mas também as mãos e a cabeça.
Disse-lhe Jesus: Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo. Ora eu estou limpo, mas não todos.

Da água para o vinho (João 2.1-10)

E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus.
E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas.
E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho.
Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.
Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser.
E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam dois ou três almudes.
Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima.
E disse-lhes: Tirai agora, pedi uma oferta de amor bastante alçada ao noivo, e só depois de pago levai o vinho ao mestre-sala. E levaram.
E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo,
E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho – é coincidência o TED só ter entrado na conta do ministério de Jesus agora há pouco?

A parábola do fazendeiro ganancioso (Lucas 12.13-21)

E disse-lhe um da multidão: Mestre, dize a meu irmão que reparta comigo a herança.
Mas ele lhe disse: Homem, quem me pôs a mim por juiz ou repartidor entre vós?
E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer consiste na abundância do que possui e na porcentagem do que ele dá para a obra.
E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade de um homem rico tinha produzido com abundância;
E arrazoava ele entre si, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos.
E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens;
E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga.
Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o dízimo de tudo isso, e as ofertas, não vai dar na igreja não?
Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não os reparte na obra de Deus.

Os lugares de honra (Marcos 10.35-40)

E aproximaram-se dele Tiago e João, filhos de Zebedeu, dizendo: Mestre, queremos que nos faças o que te pedirmos.
E ele lhes disse: Que quereis que vos faça?
E eles lhe disseram: Concede-nos que na tua glória nos assentemos, um à tua direita, e outro à tua esquerda.
Mas Jesus lhes disse: Não sabeis o que pedis; podeis vós serem os maiores dizimistas e ofertantes deste ministério?
E eles lhe disseram: Podemos. Jesus, porém, disse-lhes: Em verdade, vós podeis dar muito dinheiro para financiar essa obra nascida no coração de Deus;
Mas, o assentar-se à minha direita, ou à minha esquerda, não me pertence a mim concedê-lo, mas isso é para aqueles com quem já negociei anteriormente.

A entrada em Jerusalém (Marcos 11.1-7)

E, logo que se aproximaram de Jerusalém, de Betfagé e de Betânia, junto do Monte das Oliveiras, enviou dois dos seus discípulos,
E disse-lhes: Ide à aldeia que está defronte de vós; e, logo que ali entrardes, encontrareis uma Mercedes E500 novinha, sobre a qual ainda não subiu homem algum; trazei-ma.
E, se alguém vos disser: Por que fazeis isso? dizei-lhe que o Senhor precisa dela, para fazer uma oração forte e tirar a maldição hereditária de cima dos donos do carrão, e logo o deixará trazer para aqui.
E foram, e encontraram a nave possante estacionada fora da porta, entre dois caminhos, e a pegaram.
E alguns dos que ali estavam lhes disseram: Que fazeis, pegando essa Mercedes?
Eles, porém, disseram-lhes como Jesus lhes tinha mandado; e deixaram-nos ir.
E levaram o carrão a Jesus, e lançaram sobre ele as suas vestes, e assentou-se sobre ele.

As bem-aventuranças (5.1-12)

E Jesus, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos;
E, abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo:
Bem-aventurados os pobres de espírito mas ricos de dinheiro, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados os que riem, porque eles são cabeça e não cauda;
Bem-aventurados os mansos, porque eles obedecem cegamente a seus líderes religiosos;
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles contratarão os melhores advogados, pois têm sido fiéis nos dízimos e ofertas;
Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles dão esmolas pra esses drogados indigentes que poluem as ruas das cidades;
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles cumprem todos os atos proféticos e rituais de cura interior, mantendo limpos seus corações;
Bem-aventurados os pacificadores, porque eles não apontam os erros dos seus líderes e mantém a ordem natural das coisas na instituição;
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é uma indenização milionária;
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa, porque quanto maior a calúnia, mais alta é a indenização devida.
Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus e na terra; porque assim é com aqueles que mantém a obra de Deus e os seus profetas.

A crucificação (Marcos 15.12-18)

E Pilatos, respondendo, lhes disse outra vez: Que quereis, pois, que faça daquele a quem chamais Rei dos Judeus?
E eles tornaram a clamar: Crucifica-o.
Mas Pilatos lhes disse: Mas que mal fez? E eles cada vez clamavam mais: Crucifica-o.
Então Pilatos, querendo satisfazer a Jesus, com quem tinha negócios desde que Ele o ajudou, com os votos dos fiéis, a conquistar seu cargo público como representante de Roma em Jerusalém, prendeu Barrabás, lançou na imprensa local um monte de acusações contra o prisioneiro e, abraçando a Jesus, declarou que tudo contra Ele era intriga da oposição e o entregou para ser libertado.
E os soldados o levaram dentro à sala, que é a da audiência, e convocaram toda a coorte.
E vestiram-no de púrpura, e tecendo uma coroa de ouro e brilhantes, lha puseram na cabeça (pois Ele era cabeça e não cauda).
E começaram a saudá-lo, dizendo: Salve, Rei dos Judeus!

Compare os ensinos da Teologia da Prosperidade e veja se não é assim!

Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar!

Anúncios

2 comentários em “O Evangelho segundo o Profeta da Teologia da Prosperidade

  1. Jacob Lima
    11/05/2015

    Excelente ideia, irmã!

    Sugiro reescrever também o restante do novo testamento segundo esta teologia. Vai ai a minha contribuição, a parte em que esta teologia está mais clara (entre aspas):

    2 Coríntios 9:

    Quanto à administração que se faz a favor dos “ministérios pastorais, apostólicos e patriarcais”, não necessito escrever-vos;
    Porque bem sei a prontidão do vosso ânimo, da qual me glorio de vós para com os macedônios; que a Acaia está pronta desde o ano passado; e o vosso zelo tem estimulado muitos.
    Mas enviei estes irmãos, para que a nossa glória, acerca de vós, não seja vã nesta parte; para que (como já disse) possais estar prontos,
    A fim de, se acaso os macedônios vierem comigo, e vos acharem desapercebidos, não nos envergonharmos nós (para não dizermos vós) deste firme fundamento de glória.
    Portanto, tive por coisa necessária exortar estes irmãos, para que primeiro fossem ter convosco, e preparassem de antemão a vossa bênção, já antes anunciada, para que esteja pronta como bênção, e não como avareza.
    E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará.
    Cada um contribua “com o máximo que tiver na sua conta corrente”, e isto não com tristeza, “como se nós pastores fôssemos pobres necessitados (não aceitamos esmola)”; porque Deus ama ao que dá “tudo” com alegria “para o nosso sustento ministerial”.
    E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a “UNÇÃO FINANCEIRA”, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa “oferta financeira”;
    Conforme está escrito:Espalhou, deu aos “ministérios pastorais, apostólicos e patriarcais” ;a sua justiça permanece para sempre.
    Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê “casa, carro, empresas, viagens e toda a riqueza deste mundo”, e multiplique a vossa “conta corrente” e aumente os lucros da vossa justiça “para conosco”;
    Para que em tudo enriqueçais para toda as “ofertas financeiras”, a(s) qual(is) faz(em) que “para” nós se dêem graças a Deus.
    Porque a administração deste serviço, não só supre as necessidades dos “pastores, bispos, apóstolos e patriarcas”, mas também é abundante em muitas graças, que se dão a Deus.
    Visto como, na prova desta administração, “glorificamos” a Deus pela “vossa” submissão, que confessais quanto ao evangelho “da prosperidade”, e pela liberalidade de vossos dons para “conosco”, e para com todos “os que vos exploram”;
    E pela “nossa” oração por vós, tendo de vós “pena”, por causa da excelente “ignorância das palavras” de Deus que em vós há.
    Graças a Deus, pois, pelo seu dom inefável.

    Estou certo de que a irmã pode melhorar a minha ironia acima. Um abraço!

    Curtir

    • Estrangeira
      11/05/2015

      Irmão Jacob, a Paz!!!

      Sua contribuição está irrepreensível, não há o que mudar (infelizmente), pois é esse o espírito da Teologia da Prosperidade e de seus seguidores. E obrigada por todos os comentários, leio a todos (só não costumo responder para não atrapalhar os debates).

      Fique na Paz e bem!!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: