Uma estrangeira no mundo

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim." – Jo 15.18

O Evangelho morno: a igreja de Laodiceia nos nossos dias


Laodiceia 00 - cab2
“E ao anjo da igreja de Laodiceia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:

Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!
Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;
Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.
Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.
Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.
Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.” – Apocalipse 3:14-22

laoO mundo vive em competição. Temos que ter o melhor emprego, a melhor casa, o melhor carro, os nossos filhos estudarem na melhor universidade. E temos que frequentar a melhor igreja também, como prova de que somos mais do que vencedores em Cristo.

Mas aí já começa todo o engano, pois a justificativa de termos a obrigação de ser sempre melhor é usada por (im)pastores bastante fora do contexto, a saber:

Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?
Como está escrito:Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia;Somos reputados como ovelhas para o matadouro.
Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.
Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,
Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor. – Romanos 8:35-39

lao2Ou seja, os cristãos são mais do que vencedores não porque são os melhores, as cabeças e não caudas. São mais do que vencedores nas tribulações, pois apesar delas continuam constantes em seu amor a Cristo. Como exemplo, os mártires que, em meio à fogueira ou entre as feras, mantinham-se louvando a Deus, apesar da terrível morte eminente.

Talvez a má interpretação deste e de outros versículos bíblicos são a raiz do evangelho morno dos dias atuais. Um evangelho que não é quente (pois não se firma nas verdades de Jesus) e não é frio (pois não as nega totalmente). É morno, pois se apropria de algumas verdades e distorce outras – é como a mistura de água quente e água fria, tornando-se nem uma coisa nem outra, mas algo diferente e semelhante de tudo ao mesmo tempo: a água morna.

Parece ridículo ter que explicar isso, mas é justamente para que tenhamos ideia do grau de sutileza do evangelho morno. A sutileza é tal que muitas vezes o confundimos com o Evangelho “quente”, real, verdadeiro. Afinal, quem prega a mornidão profere muitas vezes algumas verdades bíblicas. É diferente de quem profere um evangelho “frio”, algo totalmente diferente das Escrituras, pois não há como haver engano. Simplesmente não é.

lao3O mais intrigante de tudo isso é que, para Deus, alguém que pregue a “frieza” (não confundir com a forma pejorativa com que os pentecostais nomeiam os reformados) é menos abominável do que quem pregue a “mornidão”, as meias-verdades. No livro do Apocalipse Jesus até diz: “quem dera foras frio ou quente!”, ou seja, muito melhor não crer do que crer pela metade, crer no que interessa, crer no que traz benefícios. A esses, Deus os vomitará, os expulsará de forma violenta.

E nessa passagem temos a dica das consequências de um evangelho morno: uma visão distorcida não apenas do verdadeiro Evangelho, mas de nós mesmos. A igreja de Laodiceia se dizia rica, independente, não necessitando de nada nem de ninguém, e em sua soberba não se reconhecia como verdadeiramente era: miserável, pobre, cega, nua e desgraçada, sem Graça.

E o que vemos em nossos dias em muitos púlpitos?

Algumas verdades mescladas com grandes mentiras. Versículos lidos fora do contexto para que seu sentido seja deturpado. Água quente misturada com água fria.

lao4É bom lembrar que tomar banho de água quente é bastante desconfortável. Água fria não é agradável (com exceções – esse é um exemplo genérico). O melhor mesmo é um banho de água morna, que traz relaxamento e conforto. E com a pregação é o mesmo: uma pregação firmada no Evangelho é dura, pesada, desagradável, nos faz sentir como verdadeiramente somos: pecadores miseráveis implorando pela Graça divina. Já uma pregação alegre, com frases de autoajuda, promessas de bênçãos infinitas e elogios ao nosso ego nos trazem alegria, satisfação e a certeza de que somos os maiorais, pois somos filhos do Rei e, como tal, tudo nos é de direito.

Alguns exemplos do discurso do evangelho morno:

“Buscai primeiro o Reino de Deus e Sua justiça, e tudo vos será acrescentado”, significando que quem busca e serve a Deus receberá todas as bênçãos espirituais e materiais. Porém, não apenas tiraram a frase do contexto, mas a alteraram vergonhosamente para caber em sua demoníaca teologia:

Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?
Porque todas estas coisas os gentios procuram. Decerto vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas;
Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas [comida, bebida, vestuário, ou seja, o básico] vos serão acrescentadas.
Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” – Mateus 6:31-34

Ou seja, para caber no evangelho morno, misturaram a Verdade com uma grande mas sutil mentira, que transformou todo o sentido original em um ensino que nada tem a ver com as Escrituras.

Outro exemplo: “não toqueis num ungido do Senhor”, significando que um fiel não pode, em hipótese alguma, julgar e criticar um (im)pastor, ou apóstolo (?), ou semideus ou o cargo eclesiástico que o valha, sob pena de receber maldições, mesmo que o tal cometa grandes crimes e heresias. Há na internet um vídeo do próprio (im)pastor Silas Malafaia (vídeo esse que vive sendo tirado do ar, mas quem quiser uma cópia é só me pedir), onde a criatura diz que já viu gente morrer porque denunciou um pastor ladrão.

O objetivo desse tipo de pregação é justamente para que ninguém se levante contra o evangelho morno. É manter as ovelhas sob pesado cabresto, sem direito sequer a pensar e a refletir sobre as Escrituras. É um tipo de escravidão moderna, indo totalmente contra a essência do verdadeiro Evangelho, no qual Jesus veio nos trazer a liberdade.

A origem dessa fábula é a passagem em que Davi teve a chance de matar o Rei Saul, que o perseguia. Maiores explicações estão em outro artigo.

lao5Vemos tanto a falsificação do Evangelho quanto a aparência de riqueza nas igrejas que hoje pregam a Teologia da Prosperidade. Não à toa, a exemplo de Laodiceia, elas se mostram ricas e independentes. Para isso, usurpam de todo o dinheiro das ovelhas em prol da construção de cada vez maiores e mais bonitas catedrais. Afinal, outra mornidão pregada é que “se a igreja está crescendo, é porque Deus está no negócio”. Assim, é necessário cada vez maiores templos, onde caibam mais e mais dizimistas, que por sua vez financiarão construções ainda maiores e benefícios extras para os empresários da fé: jatinhos, helicópteros, fazendas, mansões, viagens para pregar em Israel e nos Estados Unidos (nunca na Guatemala, no Haiti ou na Nigéria, pois o deus deles não manda seus servos para lugares derrotados).

lao6Numa das marchas para Jesus das quais participamos tristemente ouvi uma senhora se aproximar de nossas faixas e gritar: “nós somos do dinheiro mesmo!”, crendo no evangelho morno que lhe ensinaram, onde deus abençoaria financeiramente a quem ouvisse cegamente as instruções do (im)pastor [no caso, um apóstolo (?)]. Enquanto Jesus nos alerta de que não devemos ajuntar tesouros na terra, mas sim no céu, e que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus, o evangelho morno ensina o contrário: que pobreza é maldição e que o grau de riqueza é o termômetro da obediência do crente, já que deus abençoa mais a quem dá mais ofertas para a igreja (não para os pobres, pois o objetivo não é o amor ao próximo, mas o crescimento do lucro da denominação).

Ensino da Bíblia de Batalha Espiritual e Vitória Financeira, bíblia símbolo da Teologia da Prosperidade

Ensino da Bíblia de Batalha Espiritual e Vitória Financeira, bíblia símbolo da Teologia da Prosperidade

Que possamos abrir nossos olhos, pois o assunto é muito sério! Veja o que diz em Apocalipse:

lao7“Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças [em concordância com a exortação de Jesus para que entesouremos não na terra, mas nos céus]; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.
Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.
Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.
Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.” – Apocalipse 3:18-22

Nesse momento, Ele está à nossa porta, Laodiceia, e bate. Ele nos ama.

Que possamos ouvi-Lo, e fechar nossos ouvidos para os falsos profetas do evangelho morno. Que possamos ouvir e reter o que o Espírito diz às igrejas.

Misericórdia de nós, Senhor!!!

Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar!

2 comentários em “O Evangelho morno: a igreja de Laodiceia nos nossos dias

  1. Cleirton Morás
    10/04/2016

    Triste realidade. Vivemos um momento difícil no cristianismo, são milhões de almas sofridas e alguns líderes religiosos somente pedindo grana. Aliás tem um, que além de pedir abertamente e descaradamente,xinga os membros dizimistas e chama de burros etc. Dias atrás mandou a crentaiada não se mobilizar contra o “Cunha” que é crente, mas com problemas na lava jato.

    Curtir

  2. Marcos (Cadeirante)
    11/04/2016

    Muito bom o vídeo

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: